BELEZA: BRINCOS DE PRINCESA "As menininhas ficam uma graça com as orelhas enfeitadas...

Basta saber que o bebê será menina e as providências para arrumar a bonequinha começam a ser tomadas. Enxoval rosa, lacinhos para colocar nos cabelos e... o par de brincos, claro! Afinal, antes que qualquer um olhe sua pequenina de longe e pergunte se é menino ou menina, o adereço reluzente pode dispensar a dúvida.





Costume primitivo, podem alegar uns. Tradição, reforço da feminilidade ou simplesmente um enfeite a mais, podem justificar outros. O fato é que muitos bebês já saem da maternidade com a devida jóia enfeitando os lóbulos das orelhas. Conheça as vantagens e desvantagens de sua filhinha usar esse adorno.


VANTAGENS






· O processo é mais tranqüilo - Apesar da dor que a pequena recém-nascida sente ao receber um furinho na orelha, ela consegue lidar melhor com a situação do que as meninas mais velhas. Nessa fase, as nenezinhas costumam não ficar tão assustada e, portanto, terão menos traumas em relação a esse assunto no futuro.






· Os brinquinhos já passam a fazer parte do visual da criança desde cedo Mais importante para os pais do que para o bebê, exibi-los ainda enquanto recém-nascidos






já reforça a distinção do sexo, o que é bastante valorizado culturalmente. Então, em nome dessa questão social e da estética, é interessante furar as orelhinhas o quanto antes.






· A cicatrização costuma ser mais rápida - A pele é um órgão que se regenera com mais rapidez. E, quanto mais novo o ser humano, maior essa capacidade. Assim,






no 1º ano de vida,






o período de recuperação após furar as orelhas acaba sendo abreviado.




DESVANTAGENS






· Furar as orelhas não é um procedimento inócuo - Vale lembrar que sempre há o risco de contrair infecções, ou pela má assepsia ou por uma reação alérgica ao material dos brincos.






· A bebezinha sente dor - Ao contrário do que afirma a crença popular, recém-nascido sente dor. Portanto, sua filha sentirá o desconforto (nem que seja aquela picada incômoda do anestésico) na hora de furar as orelhas.






· Não dá para retirar os brincos por um período Depois da colocação até a cicatrização completa, não há como tirá-los. Caso contrário, os buraquinhos se fecham e perdem-se os furos.






· O bebê corre o risco de ter uma inflamação - Se os brincos forem colocados sem as condições ideais de esterilização, o bebê pode ganhar uma infecção ou inflamação






no tecido gorduroso da pele. Quanto mais próximo do rosto, pior o problema.




CUIDADOS BÁSICOS






Compre brincos de outro. Quanto maior a qualidade do material, menos risco de alergias.


Quem vai fazer o procedimento deve usar luvas.


A maioria dos hospitais - principalmente os grandes - não permite que o bebê tenha as orelhas furadas ali, logo que nasce. Mesmo assim, o ideal é conseguir a ajuda de um profissional que trabalhe no berçário para fazer o serviço fora dali. Certamente ele já estará habituado ao procedimento e fará tudo dentro das normas de assepsia necessárias.


Depois da colocação, recomenda-se a aplicação de um anestésico de uso tópico. Ele deve agir sobre a pele por, no mínimo, 10 minutos, tempo suficiente para diminuir bastante a sensibilidade da região.


Para fazer os furos, alguns profissionais preferem usar os próprios brincos com pontas afiadas. Outros usam uma agulha de injeção de calibre pequeno.


A região deve ser lavada normalmente com água e sabonete neutro e, todos os dias, limpa com álcool a 70%.


Ao menor sinal de calor, vermelhidão, inchaço ou secreção no local, procure o pediatra para tratar a infecção.



Por: Dr. Pedro Paulo Amaral Corrêa, pediatra da Maternidade São Luiz de São Paulo e da Escola Paulista de Medicina, UNIFESP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário