Como prevenir o aborto espontâneo?

Problemas hormonais e infecções virais que levam ao aborto espontâneo, como a toxoplasmose, podem ser detectados antes da gravidez. Por isso, os médicos recomendam que a mulher faça diversos exames preventivos para verificar se a saúde está em ordem e comece a ingerir ácido fólico, que ajuda a evitar malformações. Outra vantagem é identificar com antecedência os problemas anatômicos que causam abortos, em geral tardios, entre o terceiro e o quarto mês de gravidez. “São alterações no formato do útero ou miomas, por exemplo, que podem bloquear o crescimento do feto ou o fluxo de sangue para a placenta. Normalmente, eles podem ser tratados”, explica Mauro Sancovsky, professor de obstetrícia. Para a terapeuta Fátima Bortoletti, essa “faxina” na saúde também é importante para afastar fantasmas psicológicos — na hora de engravidar pela primeira vez ou quando ocorrem abortos. “Neste último caso, principalmente, as causas precisam ser identificadas para que a mulher mantenha a disposição de fazer novas tentativas sem medo”, diz. Ela lembra que, apesar de os abortos serem freqüentes, as gestações normais são muito mais comuns.


Nenhum comentário:

Postar um comentário