Salto alto para crianças: entenda por que não é uma boa escolha.

Especialistas esclarecem as principais dúvidas sobre o uso de salto alto pelas meninas e contam como deve ser o sapato ideal para evitar quedas e tropeços no caminho


A pequena Suri, 3 anos, filha dos atores hollywoodianos Tom Cruise e Katie Holmes apareceu recentemente em público usando um sapatinho de salto. Depois de andar uns poucos metros, a mãe da menina tratou de trocá-los por um par de tênis, inegavelmente mais adequados e confortáveis para uma criança de 2 anos.






Essa aparição causou reboliço e levantou algumas questões. Afinal, é assim tão condenável o uso de salto alto por uma menina? E o que devemos considerar na hora de escolher os sapatos dos nossos filhos? Vejam o que os especialistas pensam sobre isso.






1. Quais são os efeitos do uso do salto alto no corpo de uma criança?


O primeiro efeito ocorre no próprio pé. Ao levantarmos a parte de trás, chamada de retropé, mandamos o peso do corpo para a frente, o antepé. Essa sobrecarga, com o tempo, causa um processo degenerativo, que implica no alargamento da base e no encurtamento dos ligamentos. Em segundo plano, e não menos importante, estão os efeitos negativos do salto sobre a coluna. Ao usar um calçado com salto, a pessoa tende a projetar o centro de gravidade para a frente. A responsabilidade de manter o corpo estável fica toda sobre a coluna e a região lombar acaba aumentando sua curva. E, mais uma vez, depois de um tempo esse hábito pode começar a gerar desconfortos, dores e mudança na postura. “Se esse tanto de complicações acontece com adultos que já têm a estrutura óssea pronta e menos sujeita a alterações, imagine o que ocorre com as crianças, que ainda estão com o corpo em formação”, comenta Carlos Lopes, ortopedista pediátrico e médico cirurgião ortopedista do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Assim, esse hábito precoce colabora para que as estruturas ósseas da criança já comecem a se moldar com defeito.


Nenhum comentário:

Postar um comentário