ASSADURAS DO BEBÊ. O JEITO É FICAR DE OLHO!

O bebê já desmamou, começou a andar e não chora mais quando faz xixi ou cocô. Resultado: ele passa um tempão com o pacotão e, às vezes, fica todo assado. Chamada dermatite amoniacal pelos pediatras, ela tem sua explicação e pode ser evitada com relativa facilidade.
Antes de mais nada, o pediatra Zan Mustacchi nos dá uma pequena lição sobre o corpo humano. "Existem muitos microorganismos que vivem em nosso corpo. São bactérias e até fungos que ajudam em muitas funções vitais - na digestão, por exemplo - e, por isso, são chamados de simbióticos (simbiose significa uma relação vantajosa para os dois lados envolvidos)." Segundo o pediatra, algumas destas bactérias, presentes tanto na pele como na urina, transformam a uréia, um ácido presente no xixi, em amônia, uma substância básica. E é a amônia (aquele cheiro típico da urina) que causa a assadura, que é uma irritação de pele.
Aqui a 1ª surpresa: não são os ácidos os responsáveis por assaduras, mas as substâncias alcalinas. Se você acha difícil que uma base possa causar tanto mal, lembre-se da soda cáustica, uma base capaz de causar graves queimaduras. "No caso do corpo humano, o ambiente ácido costuma ser mais saudável que o alcalino", avisa o Dr. Zan.
O mesmo processo do xixi se repete com o cocô, só que, desta vez, é mais fácil perceber por causa do "cheirinho". "Quanto mais forte o cheiro, mais bactérias há nas fezes" explica o Dr. Mustacchi. E, portanto, maior a formação de elementos que vão irritar a pele. Se a criança permanece muito tempo com essa fralda suja, o resultado é um só: o vermelhão atinge os genitais, a virilha e a barriga. Além de doloridas, as assaduras são incômodas.
As mães costumam associar o aparecimento de dermatites à alimentação. Diz a lenda que a acidez dos alimentos aumenta as chances do bebê ficar assado. "Uma coisa não tem ligação com a outra. O que causa a dermatite são as bactérias", diz o pediatra.
Para evitar que isso aconteça, troque as fraldas a cada xixi ou cocô, lavando muito bem a região. Mas como você vai adivinhar que ele fez? Converse com seu bebê e peça para ele avisar - por incrível que pareça, às vezes funciona. Se não der certo, o jeito é aguçar seu nariz e ficar de olho nas fraldas. Não vale cair no conto do "bebê sequinho" dos anúncios de fralda descartável. Afinal, o xixi já está na pele dele e precisa ser lavado o mais rápido possível. É, porque o melhor remédio para assaduras é mesmo água e sabão - seja na hora de evitar como na hora de curar. Lave-o com amor e carinho, e enxugue bem. Isso deve deixar as assaduras do lado de fora das fraldas do seu bebê.
Se as assaduras acontecerem muito freqüentemente, há um outro bom jeito de prevení-las: usar fraldas de pano. Nada contra as descartáveis. Mas as de pano permitem uma "manobra" muito interessante que impede a proliferação de bactérias: depois de lavá-las e enxaguá-las normalmente, enxágüe-as uma 2ª vez com uma solução de água com vinagre branco (uma colher de sopa para cada litro). O ambiente ácido (do vinagre) evita tanto que as assaduras comecem quanto que piorem.
Resolvendo assaduras: Todo bebê tem assaduras de vez em quando. Para resolver o questão, segundo o Dr. Mustacchi, basta deixar a criança com o bumbum de fora. O maior problema é o preconceito das mães. Afinal, não fica bem deixar a criança sem fraldas - e isso acaba tendo como resultado uma sujeira danada. Deixe estes "detalhes" de lado sempre que possível e siga o bom senso. Afinal, a ciência já provou que grande parte das bactérias e vírus detestam ar. Basta ventilar que o problema desaparece rapidamente.
Outra observação do Dr. Zan é que as dermatites são simples, se comparadas a outros problemas de pele. "As mães ficam um pouco céticas quando a receita é água e sabão e deixar a criança sem fralda", conta o pediatra. Mas, se o problema é simples, para que complicar?
É preciso cuidar direito das assaduras porque elas podem trazer complicações. As dermatites mal curadas podem ser um agente para as infecções urinárias. "A principal causa destas infecções é o medo que as mães têm de lavar a região", afirma.
Nas meninas costuma acontecer o que os médicos chamam de sinéquia dos pequenos e/ou grandes lábios. Os meninos desenvolvem uma fimose progressiva inflamatória secundária. Em ambos os casos, como a região não é bem limpa, a pele dos genitais vai cicatrizando grudadinha. O pediatra já viu casos de meninas que ficaram só com um pequeno orifício por onde a urina saía. Além da inflamação, a complicação pode acabar até em cirurgia. Portanto, não tenha medo (ou pudor) de lavar o seu bebê. Você o está protegendo de mais problemas do que pode imaginar.
Assaduras e sapinho: Existe um caso em que assadura é sinal de problema: se as assaduras e o sapinho aparecerem ao mesmo tempo, vá ao pediatra. A cândida (ou monilha), fungo que causa o sapinho, é um dos microorganismos simbióticos do ser humano. Como as crianças ainda não têm boas defesas - quando o organismo está enfraquecido, com "baixa resistência", o sapinho pode aparecer tanto na boca quanto no períneo (a região onde estão os genitais e o ânus). Por isso, preste atenção, porque o sapinho no períneo parece assadura. De toda forma, a dupla água e sabão continua uma boa aliada, desta vez associada a remédios.
Assadura ou eczema? Existe um outro problema de pele associado à alimentação: o eczema atópico. Ele parece com assaduras. Na verdade, trata-se de uma alergia que causa a descamação da pele. Apesar de raro, o eczema pode ser diferenciado da assadura porque não fica restrito à região das fraldas. Neste caso, haverá vermelhidão atrás dos joelhos, na região do períneo, nas axilas, no pescoço e nas orelhas. O eczema atópico pode ser uma reação à ingestão de proteínas e derivados animais (carnes e leite). O médico poderá recomendar que a criança tome leite de soja e indicará um creme para as regiões afetadas.
E, lembre-se, água e sabão pode ser tudo o que o bumbum do seu bebê precisa!


Nenhum comentário:

Postar um comentário