Cada criança tem sua própria evolução motora, que deve ser respeitada. RT Dúvidas e Dicas

Marina está com 1 aninho, mas ainda não se aventurou a dar seus primeiros passinhos. O pediatra garantiu à mamãe que não há nenhum problema com a garota, mas sua prima, de apenas 11 meses, já anda, toda sapeca, nas reuniões familiares. "A Marina ainda não está andando?", é o que sempre perguntam à mãe. É inevitável que em sua cabeça e em seu coração surja a dúvida: será que Marina é realmente normal?
Claro que sim. Cada criança tem seu próprio ritmo para ensaiar os primeiros passos sozinha. Andar é um dos componentes de um processo maior, o desenvolvimento motor, que é realizado de forma contínua e em etapas. Entre firmar a cabecinha e caminhar com desenvoltura, leva um certo tempo. Alguns cumprem estas funçôes mais cedo do que outros, sem que isso represente um problema. "Trata-se, apenas, de uma maturação mais rápida ou mais lenta do sistema nervoso. A velociadade é determinada geneticamente e influenciada pelo ambiente", explica a neurologista Jessie de Navarro, do Instituto da Criança (SP).

O processo varia tanto de uma criança para outra que algumas nem mesmo engatinham antes de andar. Em geral, aos 13 ou 14 meses o bebê começa a andar sozinho e sem apoio. Se seu filho deu os primeiros passos um pouco antes ou depois, não há com o que se preocupar Se essa situação persistir após os 18 meses, é recomendável consultar o pediatra da criança, pois pode ser sinal de um atraso motor.

Uma boa dica é estimular o bebê. Crianças que recebem estímulos costumam apresentar uma evolução motora mais rápida do que aquelas que permanecem muito tempo quietinhas em seu berço. Isso pode ser feito de maneiras bastante simples. Desde os primeiros meses, converse com o bebê, acaricie seu corpinho e brinque com ele. Mas evite os exageros. "Não se deve estimular demais, pois precisamos respeitar as etapas do desenvolvimento motor e, acima de tudo, respeitar a criança individualmente", orienta Jessie Navarro.


Conheça a evolução motora do bebê:

Cada criança tem seu próprio ritmo para a evolução motora. Mesmo assim, pode-se dizer que, em média, os bebês se desenvolvem da seguinte maneira:

3 meses - rola o corpinho e passa da posição deitado de oostas para deitado de bruços, com a barriga para baixo.

4 meses - rola para ambos os lados.

4 a 5 meses - pega um objeto com toda a mão.

5 meses - brinca com as mãos, começa a sentar com apoio.

6 a 7 meses - senta sem apoio, começa a engatinhar.

7 meses - é capaz de usar o polegar e 2 dedos, transfere objetos de uma mão para a outra, senta sem apoio.

8 meses - fica em pé, apoiandose com os braços

9 meses - pega pequenos objetos com o polegar e dois dedos, fica de pé com apoio.

11 meses - caminha quando seguro pelas duas mãos.

12 meses - caminha apenas com uma das mãos segura.

13 a 14 meses - anda sem apoio.

Fonte: Revista "Mãe, você e seu filho"

Nenhum comentário:

Postar um comentário