De olho no prato da criança



A obesidade infantil é um problema tão sério que já se fala em uma epidemia mundial. Isso significa que nossas crianças estão cada vez mais rechonchudas e menos saudáveis. A estética, embora incomode (e muito) as crianças e os pais, é a menor das preocupações. Crianças que estão acima do peso têm mais chances de desenvolver uma série de problemas de saúde, como hipertensão, colesterol e diabetes.


Mas por que será que hoje em dia existem muito mais crianças gordinhas do que antigamente? Os especialistas já apontam alguns fatores responsáveis por esse fenômeno: o desmame precoce, a dieta mais rica em gorduras e açúcares, a mídia, que incentiva o consumo de alimentos industrializados (geralmente calóricos e pobres em nutrientes), e o sedentarismo - hoje, as crianças brincam menos na rua e em parques e têm como principal diversão a televisão e o computador.


A genética e o metabolismo também influenciam bastante no peso - por isso, filhos de pais obesos têm mais chances de desenvolver o problema.


Para evitar que a obesidade pegue seu filho, é preciso estar atenta à alimentação dele desde muito cedo. Mais precisamente, desde a amamentação! É que as crianças alimentadas exclusivamente com leite materno têm menos tendência a engordar.


Depois, quando seu filho passa a fazer as refeições com a família, você pode colocar em prática essas dicas para manter todos em forma:


- Na hora de introduzir os alimentos sólidos na dieta da criança, não deixe as frutas, legumes, verduras e grãos de fora. Se ele manifestar desagrado nas primeiras tentativas, volte a oferecer o alimento alguns dias depois, para que seu paladar se acostume ao novo sabor.


- Prepare sempre pratos nutritivos para toda a família. Não esqueça que a dieta do seu filho não deve ter restrições calóricas, mas você pode estimulá-lo a preferir alimentos mais saudáveis.


- Evite as frituras.


- Não permita que a criança faça as refeições em frente à televisão, computador ou videogame. O ideal é que este seja um momento familiar, sem grande agitação.


- Permita que seu filho faça cinco refeições ao dia (café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar), mas respeite os limites da criança. É bastante comum que as mães, preocupadas com o bem-estar dos filhos, insistam para que eles comam mais, mesmo que digam que estão satisfeitos. Mas forçar a alimentação pode tirar todo o prazer que a criança sente em comer. Lembre-se: seu filho pedirá comida quando sentir fome e não tem problema se ele não "limpar o prato" de vez em quando!


- Substitua as bolachas, salgadinhos e doces por muitas frutas da estação e legumes crus na hora do lanche. Abuse da criatividade e corte os alimentos em formatos bem divertidos.

0800-109992
Lojas abertas até as 20hs !


Nenhum comentário:

Postar um comentário